Vale a pena fazer dieta sem procurar um nutricionista?

Os alimentos que comemos definem, em grande parte, a saúde de nosso organismo. Assim, a dieta é um fator de peso para alcançar nossos objetivos, seja lá quais forem.

A alimentação foi desvendada pelos Gregos Antigos, os quais prezavam pela escolha dos alimentos principalmente para atletas de alto desempenho. No contexto moderno, a ciência elucidou a relação entre alimentação e desempenho, a qual é muito forte, diga-se de passagem.

Portanto, o primeiro passo para realizar mudanças visíveis em seu corpo é a dieta.

A falta de dinheiro ou de conhecimento pode levar o atleta a se questionar sobre a necessidade de consultar um nutricionista. Será que esse profissional é realmente necessário?

É disso que vamos falar neste conteúdo!

Qual o papel do nutricionista em uma dieta?

O nutricionista desempenha um papel vital na hora de elaborar o seu cardápio: ele vai levar em conta todas as necessidades do seu organismo, assim como suas metas, e escolher o melhor caminho para atingi-las.

Esqueça aquela ideia de que fazer dieta é sinônimo de passar fome: a verdade é que uma alimentação balanceada vai satisfazer todas as suas necessidades, assim como eliminar a fome.

Para que isso seja possível, é necessário compreender em profundidade seu organismo. Porém, precisamos avisar sobre uma coisa: cada corpo é diferente, ou seja, não adianta seguir uma “dieta genérica” e torcer para dar certo.

Em alguns casos, o organismo precisa de mais Vitamina C; em outros, há uma tendência de déficit de ferro no sangue. Esses detalhes só são descobertos através de análises.

Então, é justamente isto que um nutricionista vai fazer: estudar seu organismo e prescrever o melhor cardápio para ele.

Quais são os princípios de uma dieta balanceada?

Se você não ficou convencido ao ler os argumentos do tópico acima, e está decidido a criar seu próprio cardápio, aproveite e aplique os princípios de uma dieta balanceada. Veja alguns deles:

  • O famoso “prato colorido” não existe à toa: seu organismo precisa de um pouquinho de cada componente para continuar funcionando certinho. Portanto, procure pela diversidade de alimentos durante o dia.
  • Cada alimento fornece uma quantidade de energia, vitaminas e minerais. Assim, procure dosar principalmente a energia consumida durante o dia. É ela quem vai ditar se você ganha ou perde peso.
  • A quantidade de comida depende da sua composição, não da vontade que você sente em comê-la. Assim, procure comer porções pequenas ao invés de encher o prato.
  • As frutas, verduras e legumes são os alimentos mais poderosos em uma dieta, seja qual for o objetivo. Além disso, você está liberado para comer grandes porções desses grupos, assim como montar pratos deliciosos.
  • Evite alimentos com baixo poder nutricional, como é o caso de refrigerantes e lanches diversos. Dê preferência para alimentos saudáveis e ricos em componentes essenciais ao organismo.

Existe uma maneira de melhorar a alimentação sozinho?

Sim, e ela consiste em trocar os alimentos com baixo valor nutricional por opções mais saudáveis. Aliás, essa transição deve acontecer de forma gradual, ou seja, nada de solavancos no começo.

Indivíduos com uma dieta muito ruim, por exemplo, podem procurar trocar um alimento por vez. Assim, ao invés de consumir sorvete após cada refeição, encaixar uma porção de frutas é uma estratégia viável.

Além disso, se o hábito negativo for comer lanches gordurosos aos finais de semana, explorar as opções de lanches saudáveis pode ser uma excelente ideia. 

No longo prazo, a alimentação estará cada dia mais próxima do ideal, mas isso não significa que deve-se evitar ir ao nutricionista. De fato, ele vai potencializar seus ganhos, permitindo resultados mais rápidos.

Quais os riscos de montar um cardápio por conta própria?

O primeiro risco é exagerar na quantidade de alimentos. Em geral, pessoas com problemas alimentares costumam comer por ansiedade, e até mesmo os alimentos saudáveis engordam, em caso de excessos.

Outra coisa que acontece é ocorrer a falta de componentes essenciais ao organismo. Como é preciso ter conhecimentos técnicos sobre os alimentos, um leigo no assunto tende a esquecer alguns componentes, podendo até mesmo piorar a alimentação.

Por fim, como há um consenso de que “dieta significa passar fome”, é comum que a quantidade de comida seja muito pequena. Por incrível que pareça, isso pode causar ganho de peso, pois, quando for se alimentar novamente, a tendência é comer muito mais que o habitual. 

Só a alimentação resolve o problema?

Quando falamos em perder peso, sim, a alimentação sozinha dá conta do recado. No entanto, os efeitos da dieta são potencializados pelos exercícios, por isso um sempre anda com o outro.

No entanto, se o objetivo for ganhar massa muscular, somente se alimentar bem não vai ajudar muito. É preciso que treinos intensos e específicos sejam realizados por você, e a regularidade é a chave para o sucesso aqui.

Gostou das informações sobre dieta encontradas aqui? Aproveite e mande para seus amigos!